EUR/USD
Semanal

EUR/USD  Semanal

Semana de reunião da Reserva Federal dos Estados Unidos. Será desta que vemos novos mínimos do ano no EUR/USD?

O EUR/USD na semana passada começou por continuar o movimento correctivo que o par vinha a registar na semana anterior, após ter feito um novo mínimo do ano a 0,9864.
A ajudar esta correcção esteve um aumento histórico por parte do Banco Central Europeu de 75 pontos base, assim como um posicionamento por parte dos vários elementos do banco central bastante mais hawkish do que aquele esperado pelos mercados. As yields obrigacionistas voltaram a ganhos muito significativos, dando suporte à divisa europeia e, como tal, ao EUR/USD.
Por outro lado, a esperança de que o Fed poderia não ir tão longe como aquilo que ia sendo “pedido” pelos diversos membros do FOMC, voltou a aumentar, com alguns indicadores económicos nos Estados Unidos, nomeadamente os PMI, a mostrarem alguma fragilidade inesperada. As expectativas de subidas de taxas de juro começaram a recuar, com os mercados a voltarem à ideia de que seria possível uma inversão da política monetária do Fed mais cedo do que o esperado. O conjunto ajudou a suportar os ganhos do EUR/USD que chegou a negociar muito perto de 1,0200, o que não sucede desde meados de Agosto.
A divulgação dos dados da inflação acabaram definitivamente com a esperança do mercado de qualquer recuo por parte do Fed, tanto a nível do ritmo de subida de taxas, mas principalmente a nível de uma inversão na sua política monetária.

Para esta semana os mercados estão a dar como adquirido um aumento de 75 pontos base na taxa dos Fed funds, com os mesmos a subirem do intervalo 2,25%-2,50% para 3,00%-3,25%.
Antes dos dados da inflação da passada semana o mercado ainda colocava uma hipótese (baixa) de um aumento de 50 pontos, não projectando qualquer possibilidade de um aumento de 100 pontos. Agora a possibilidade de 50 pontos deixou de ser considerada no mercado e sinaliza a possibilidade de cerca de 20% de um aumento de 100 pontos base.

Com o par em torno da paridade, caso o Fed enverede por um posicionamento mais agressivo, a possibilidade de vermos novos mínimos do ano no EUR/USD parece elevada, tendo em consideração a reacção do mercado após a divulgação dos dados da inflação. Por outro lado, o preencher da expectativa de mercado poderá fazer com que o EUR/USD continue em torno da paridade durante mais algum tempo.

Do lado europeu continuaremos a ter mais discursos de responsáveis do Banco Central Europeu, nomeadamente de Christine Lagarde que, a avaliar pelas anteriores semanas e pela mensagem na conferência de imprensa após a decisão de subida de taxas de juro, deverão manter o tom hawkish e, desta forma, dar algum suporte à divisa europeia.
Os PMIs mesmo no final da semana poderão “turvar” ainda mais a direcção do EUR/USD. Dados que mostrem mais confiança na economia do que o esperado poderão elevar as expectativas de subida de taxas por parte do BCE levando suporte à divisa europeia. No entanto, esse aumento das expectativas poderá levar a uma reacção de aversão ao risco nos mercados accionistas, o que por norma pesa no EUR/USD.

Resumindo, poderemos continuar a ver o EUR/USD a negociar em torno dos actuais níveis, à volta da paridade, excepto se o Fed surpreender uma vez mais os mercados, desta vez subindo as taxas em um ponto percentual ou com projecções que levem mais longe o pico das taxas de juro do dólar no final deste ciclo de aperto monetário.


Tecnicamente

Gráfico EUR/USD semanal

Fonte XTB xStation 5


O EUR/USD na semana passada “cumpriu” o primeiro objectivo a 1,0175, da correcção que tínhamos apontado, dada pelos 61,8% Fibonacci retracement do movimento Máximo de Agosto / Mínimo do Ano, terminando a negociar em torno da paridade. Testou também, uma vez mais, a linha de tendência de médio/longo prazo deste ano de 2022.

O momentum continua negativo e o par continua sem dar sinais de conseguir inverter a tendência descendente onde vem a negociar.
O RSI continua bem abaixo da linha de 50 no gráfico semanal sem sinais de que o possa fazer proximamente.

O quebrar do mínimo da semana passada a 0,9945 irá abrir caminho para um teste ao mínimo do ano a 0,9864 que, se ultrapassado, dará com certeza força para cilindrar o suporte a 0,9859 dado pelo mínimo de Dezembro de 2002 e abrir a porta para maiores perdas no par, com o próximo suporte a estar a 0,9686, dado pelo mínimo de Outubro de 2002 e onde, em torno do qual, poderemos também encontrar os 100% da projecção Fibonacci dada pelo movimento máximo de Agosto / mínimo do ano / máximo de Setembro.

Já o ultrapassar do máximo da semana passada coloca o par de novo na correcção que iniciou após o mínimo deste ano, com o par a poder voltar a ter como objectivo a área 1,0349/1,0368 (mínimo de Maio / máximo de Agosto).


Gráfico EUR/USD diário

Fonte XTB xStation 5

O EUR/USD começou a semana passada a continuar o movimento ascendente da semana anterior, tendo mesmo chegado a negociar por breves momentos acima da linha de tendência descendente. Mas o preço teve pela frente a resistência dada pela Nuvem de Ichimoku diária que nem chegou propriamente a testar, com o preço a cair drasticamente do máximo que registou do mês de Setembro a 1,0197, para 0,9950.

O preço volta a negociar dentro do canal descendente deste ano. O momentum positivo que o RSI no gráfico diário começava a construir desapareceu, mas o MACD ainda continua a privilegiar ganhos no par, que terminou a semana a negociar em torno da MM 21 dias.
O EUR/USD poderá voltar a uma área de consolidação entre o suporte a 0,9952, que se mostrou forte parando as perdas do par durante a semana passada, e a resistência dada pela Nuvem de Ichimoku diária (1,0200/1,0285), ou por um intervalo mais largo entre o mínimo do ano a 0,9864 e 1,0350.

O quebrar do suporte a 0,9952 (mínimo de Julho e primeiro mínimo após negociar abaixo da paridade) poderá indicar que a tendência descendente está de novo a ganhar força, com o par a avançar para novos mínimos multianuais.

O voltar a negociar acima da linha de tendência descendente, poderá indicar novo teste à resistência dada pela Nuvem de Ichimoku que se ultrapassada colocará o par na direcção da resistência a 1,0350.

Resistências - Suportes

1,0197 - 0,9952

1,0285 - 0,9859

1,0349 - 0,9693


O que pensa sobre este tema?