EUR/USD
Semanal

EUR/USD  Semanal

Depois de sair do canal de tendência descendente onde negociou praticamente todo este ano de 2022, será que já vimos o máximo do par até o final do ano?

O abrandamento do ritmo de subida de taxas de juro nos Estados Unidos assumido pelos mercados levou a uma correcção das yields obrigacionistas, correcção essa que parece também ela estar a abrandar.
As taxas implícitas dos contractos de futuros de Junho de 2023 sobre os Fed Funds chegaram a recuar até aos 4,82, dos máximos atingidos acima de 5,20, mas entretanto já voltaram acima de 5,00.

A dialética dos diversos responsáveis da Reserva Federal, que apesar de na sua grande maioria apontarem para um abrandamento, já em Dezembro, de 75 para 50 pontos base da taxa de juro do dólar, continuam também a realçar que as taxas continuam em níveis máximos durante mais tempo, pelo menos até que as pressões inflacionistas dêem sinais de recuar da corrente inércia em alta.

A diferença das políticas monetárias da Reserva Federal para o Banco Central Europeu continua a colocar na frente o dólar face ao euro.
A corrente fragilidade dos mercados accionistas continuam também a dar preferência a ganhos do dólar.

Por fim, a falta de indicadores económicos a divulgar esta semana, assim como os Estados Unidos em fim-de-semana grande a iniciar quinta-feira, com o Dia de Acção de Graças e o meio-feriado de sexta-feira do ”Black Friday”, privilegiam os indicadores técnicos.

Com mais uma reunião do Fed e do BCE até ao final do ano, assim como os nonfarm payrolls e os dados da inflação do mês de Novembro, tudo poderá acontecer mas pelo menos para esta semana afiguram-se difíceis os ganhos do EUR/USD que o levem acima do recente máximo perto de 1,0500.


Tecnicamente

Gráfico EUR/USD semanal

Fonte XTB xStation 5


Depois da fortíssima vela ascendente bullish Marubozu da semana anterior, na semana passada podemos ver um doji que sinaliza pelo menos a indecisão do mercado em continuar com os recentes forte ganhos do par.
O EUR/USD encontrou a última resistência em torno de 1,0471, um mínimo relevante em Maio deste ano e em torno do forte nível psicológico de 1,0500 e fechou a semana abaixo de uma área de suporte/resistência (1,0340/1,0360).

Apesar do MACD continuar a mostrar a possibilidade de mais avanços do par, o RSI mostra um forte abrandamento do ímpeto dos ganhos no par, mesmo com um novo máximo perto de 1,0500 na semana passada.
O quebrar do suporte a 1,0197, dado pelo máximo do mês de Setembro, abre a hipótese a um teste ao agora forte suporte dado pela MM das 21 semanas (1,0040).

Uma inversão no sentimento de mercado que leve o par a ultrapassar a área de resistência 1,0340/1,0360 irá expor de novo o máximo deste mês que se ultrapassado, só encontrará uma resistência mais forte a níveis da MM 55 semanas (de momento a 1,0636).


Gráfico EUR/USD diário

Fonte XTB xStation 5

O EUR/USD depois dos fortes avanços registados há duas semanas, abrandou o ímpeto altista na semana passada, consolidando em torno de 1,0400, mas terminou abaixo do importante nível a 1,0349.

Esta semana abriu com o par a testar a linha dada pela MM 200 dias que quebrou ascendentemente a 10 de Novembro, e simultaneamente a testar a linha superior do canal ascendente que definimos no decorrer do mês de Outubro.
Com o RSI a mostrar um abrandamento do momentum e com o MACD a começar a sinalizar a probabilidade de perdas para o par, o EUR/USD poderá estar a caminho de uma correcção do movimento que trouxe o preço de 0,9715 em 2 de Novembro, até aos 1,0480 no dia 14 de Novembro. Os 38,2% Fibonacci Retracement (a 1,0193) deste movimento poderá ser o primeiro objectivo, com o segundo a encontrar-se a 1,0010 nos 61,8%.

O voltar acima de 1,0349, poderá dar força de novo ao par para novo teste à área 1,0480/1,0500 (máximo do mês/nível psicológico).


Resistências - Suportes

1,0349 - 1,0197

1,0480 - 1,0093

1,0636 - 1,0010


O que pensa sobre este tema?