Amanhã destacamos
Banco Central Europeu

Amanhã destacamos Banco Central Europeu

Todas as atenções irão estar na reunião do Banco Central Europeu, com os mercados a não esperarem outro resultado que não seja um corte das suas taxas de referência.

Qualquer outro resultado desta reunião que não seja um corte de 25 pontos base nas taxas directoras do Banco Central Europeu, será uma enorme surpresa e motor de grande turbulência nos mercados financeiros. O mercado conta com o primeiro corte de taxas desde 2016, fazendo baixar a sua taxa de operações principais de refinanciamento de 4,50% para 4,25% e a de facilidade permanente de depósito de 4,00% para 3,75%.
Os mercados irão estar especialmente atentos às actualizações das projecções económicas do BCE e principalmente à conferência de imprensa, onde irão tentar ver qualquer orientação futura, que dê alguma luz sobre a continuação do ciclo de cortes de taxas de juro.

Mas há mais, além do Banco Central Europeu.

Esta noite, na Austrália, teremos os números da balança comercial de Abril que deverão mostrar um excedente de 5,5 mil milhões de dólares australianos, acima dos 5,02 mil milhões do mês anterior, com as exportações a aumentarem e as importações a diminuírem.

Pela manhã, na Suíça, teremos a divulgação da taxa de desemprego que se deverá manter nos 2,3%.
Na Alemanha teremos as encomendas às fábricas que, depois da redução de 0,4% no mês anterior, o mercado espera ver um aumento em Abril de 0,6%.
Na Zona Euro iremos ter a divulgação dos números das vendas a retalho de Abril, que deverão desacelerar do aumento de 0,8% do mês de Março, para subirem 0,2%.
No Reino Unido teremos a divulgação do PMI da construção onde as estimativas apontam para um ligeiro recuo do índice de 53,0 para 52,5.

À tarde, nos Estados Unidos, as atenções vão para os habituais números semanais dos novos pedidos de subsídio de desemprego que se deverão manter nos 215 mil, baixando dos 219 mil da semana anterior.
No Canadá teremos a divulgação do índice Ivey PMI que deverá subir de 63 para 65,2 e ainda os números da balança comercial de Abril que deverão mostrar um défice de 2,2 mil milhões de dólares canadianos, melhorando dos 2,3 mil milhões do mês anterior, com um aumento das exportações e uma diminuição nas importações.


O que pensa sobre este tema?