Café da Manhã
Em modo de alerta

Café da Manhã Em modo de alerta

As eleições europeias acabaram por ter um impacto acima do esperado nos mercados financeiros, depois da vitória da extrema direita em alguns países europeus ter levado a incertezas no seio da UE.

Os mercados accionistas europeus começaram a semana em perdas, depois do resultado das eleições em França terem mostrado uma derrota do partido de Emmanuel Macron e vitória da extrema-direita de Marine Le Pen, levando Macron a dissolver a Assembleia Nacional e a convocar eleições antecipadas, já para os próximos dias 30 de Junho e 7 de Julho. Os mercados accionistas terminaram em perdas, tal como a Moeda Única.

Os mercados accionistas norte-americanos terminaram o primeiro dia da semana em terreno positivo, depois dos dados acima do esperado do mercado de trabalho na semana passada, enquanto aguardam pela divulgação do Índice de Preços do Consumidor e pela decisão de taxas do Fed durante o dia de amanhã.
O índice S&P500 e o Nasdaq registaram novos máximos absolutos, avançando respectivamente 0,26% e 0,35%. O índice Dow Jones avançou timidamente 0,18%.

Na Ásia, o dia de hoje começou com os mercados accionistas, de uma maneira geral em perdas.
No Japão, o índice Nikkei terminou a sessão a avançar 0,19%, enquanto o Topix perdeu 0,20%.
Na China, o índice CSI 300 perdeu 0,87%, o Shanghai Composite 0,76% e o Hang Seng, de Hong Kong 1,09%.
Na Austrália, o índice ASX 200 caiu 1,33%, enquanto na Coreia do Sul, o índice Kospi, avançou marginalmente 0,15%.

Na Europa, depois das perdas de ontem as acções seguem hoje a negociar sem uma direcção bem definida, mas em terreno positivo.
O índice Euro Stoxx 600 segue praticamente inalterado (+0,03%) e o Euro Stoxx 50 avança marginalmente 0,17%.
Na Alemanha, o índice DAX avança 0,13% e o CAC 40, de França, 0,34.
No Reino Unido, o índice FTSE segue também praticamente inalterado (+0,03%).

No mercado cambial o dólar começou a semana em ganhos e o euro em perdas. O índice DXY terminou o primeiro dia da semana acima de 105,00 e o EUR/USD abaixo de 1,0800.
A incerteza política gerada pelas eleições europeias mantém o euro pressionado, com o EUR/USD a manter-se bem abaixo de 1,0800 (1,0765 de momento).
O dólar continua a negociar em ganhos, com os mercados a aguardarem pelos dados da inflação e pela reunião do Fed a terem lugar amanhã.
A libra segue a negociar em torno dos níveis registados durante o dia de ontem, embora em ligeiro recuo depois dos dados desta manhã do mercado de trabalho. O número de pedidos de subsídio de desemprego aumentou bem acima do estimado em 50,4 mil, a taxa de desemprego subiu inesperadamente de 4,3% para 4,4%, enquanto o crescimento salarial incluindo bónus manteve-se nos 5,9%, acima dos 5,7% estimados pelo mercado. O GBP/USD segue de momento a negociar a 1,2720 e o EUR/GBP a 0,8460.
O iene recua dos ganhos de ontem, voltando a negociar em perdas, com o USD/JPY a cotar acima de 157,00 (157,30 de momento) e o EUR/JPY a 169,30.
O franco suíço continua a negociar em torno dos ganhos registados ontem. O USD/CHF segue de momento a negociar a 0,8970 e o EUR/CHF a 0,9655.
O peso mexicano segue hoje a recuperar das fortes perdas registadas ontem depois da presidente mexicana, Claudia Sheinbaum, ter prometido levar adiante as reformas judiciais propostas pelo anterior presidente López Obrador. O USD/MXN chegou a um máximo de 18,66 e o EUR/MXN a 20,03. De momento o USD/MXN segue a negociar a 18,44 e o EUR/MXN a 19,85.

Os preços do petróleo começaram a semana em forte recuperação dos mínimos registados na semana passada depois de analistas da Goldman Sachs terem alertado que a procura de combustível no Verão poderá levar o mercado a um défice de oferta nas próximas semanas.
Depois de ontem o Brent ter atingido um máximo de $82,15 por barril e o WTI de $78,30, os preços estão a começar o dia de hoje a recuar com o Brent a $81,50 e o WTI a $77,65.


O que pensa sobre este tema?