Café da Manhã
A surpresa

Café da Manhã A surpresa

A semana começa com a surpresa do vitória da esquerda na segunda volta das eleições em França, sem contudo se alterar o cenário previsto anteriormente de um parlamento sem maioria absoluta.

França enfrenta um potencial impasse político depois das eleições terem levado a um parlamento dividido, com a aliança de esquerda a ganhar inesperadamente as eleições. A Nouveau Front Populaire, conquistou o maior número de lugares (182), com o partido Ensemble de Macron em segundo lugar (168). O Rassemblement National, de Marine Le Pen, obtém 143 lugares. Com uma maioria necessária de 289 lugares, nenhum dos três blocos está perto de poder formar um governo com plenos poderes. Será muito difícil formar um governo de coligação e poderá estar previsto um longo período de impasse.

Os mercados accionistas europeus estão a começar a semana em terreno positivo, com o cenário político na Europa (França) a não ter sofrido uma alteração do anteriormente previsto, um parlamento dividido sem maioria.
O índice Euro Stoxx 600 segue de momento a avançar 0,46% e o Euro Stoxx 50 0,81%.
Na Alemanha, o índice DAX avança 0,74% e o CAC 40, de França, 0,67%.
No Reino Unido, o índice FTSE 100 segue a avançar timidamente 0,12%.

Anteriormente, na Ásia, os principais índices terminaram em terreno negativo.
No Japão, o índice Nikkei terminou praticamente inalterado (-0,06%) e o Topix recuou 0,57%.
Na Austrália, o índice ASX 200 perdeu 0,76% e o Kospi, da Coreia do Sul, recuou marginalmente 0,15%.
Na China, o índice CSI 300 perdeu 0,85%, o Shanghai Composite 0,93% e o Hang Seng, de Hong Kong, 1,91%.

Isto depois dos mercados accionistas norte-americanos terem terminado a última sessão da semana passada em ganhos, registando novos máximos históricos, com o aumento das expectativas de cortes de taxas de juro por parte da Reserva Federal, após sinais de abrandamento da maior economia do mundo.
O número de novos postos de trabalho em Junho foi de 206 mil, acima do esperado, mas abaixo dos 218 mil do mês anterior, revisto em baixo de 272 mil. O crescimento salarial caiu de 0,4% para 0,3%, enquanto a taxa de desemprego subiu de 4,0% para 4,1%.
Com as yields obrigacionistas e o dólar a caírem, os preços das acções foram impulsionados em alta.
O índice Dow Jones avançou timidamente 0,17%, o S&P 500 0,54% e o Nasdaq liderou ao subir 0,90%.

No mercado cambial a semana começou com o euro a recuar nas primeiras horas da semana, mas a recuperar quase imediatamente essas quedas. O EUR/USD, depois de ter começado a semana a 1,0800, segue de momento a 1,0840, ao nível do fecho da semana anterior.
O dólar está a começar a semana ao nível do fecho da passada sexta-feira, negociando de momento a 104,55.
A libra está a começar a semana em ligeiros ganhos, com o GBP/USD a negociar de momento acima de 1,2800 (1,2815) e o EUR/GBP a 0,8455.
O iene continua em torno do recente mínimo histórico, com o USD/JPY a negociar de momento a 160,90 e o EUR/JPY a 174,40.
O franco suíço está a começar a semana em ganhos, com o seu papel de refúgio de novo a surgir, com as incertezas políticas na Europa. O EUR/CHF segue de momento a negociar a 0,9700 e o USD/CHF a 0,8950.

Os mercados petrolíferos estão a começar a semana em perdas, continuando a recuar dos máximos registados na semana passada, com as tensões a abrandar no Médio Oriente, com a perspectiva de um cessar-fogo em Gaza a aumentar.
O Brent segue de momento a negociar a $86,10 por barril e o WTI a $82,50.


O que pensa sobre este tema?