Amanhã destacamos
The Reserve Bank of New Zealand

Amanhã destacamos The Reserve Bank of New Zealand

O destaque desta quarta-feira vai para a reunião desta noite do banco central neozelandês, com o mercado a estar ainda atento aos dados da inflação na China e mais discursos de banqueiros centrais.

Esta noite, o mercado começa por ter a divulgação do Índice de Preços do Produtor no Japão que, segundo as estimativas, deverá mostrar uma subida anual de 2,9%, acelerando dos 2,4% do mês anterior.
Na China teremos os dados da inflação, onde as previsões apontam para que o Índice de Preços do Consumidor de Junho aumente de 0,3% para 0,4% em termos anuais, com os preços a nível mensal a ficarem estáveis, depois de uma queda de 0,1% no mês de Maio. Teremos ainda o Índice de Preços do Produtor, que deverá mostrar uma queda de 0,8%, desacelerando da queda de 1,4% do mês anterior.

Na Nova Zelândia, os mercados esperam que o Reserve Bank of New Zealand mantenha a sua política monetária inalterada, com a sua taxa directora nos 5,5%, nível que se mantém desde Maio de 2023.

Pela manhã, em Itália, teremos os dados da produção industrial de Maio, com as estimativas a apontarem para um aumento de 0,1%, depois da queda de 1% no mês de Abril.
Em Portugal, a taxa de inflação deverá mostrar uma subida de 3,1% para 3,6%, em termos anuais.

Iremos ter mais discursos de banqueiros centrais.
Joachim Nagel, presidente do Bundesbank, irá discursar no Congresso Sindical, na Alemanha, e participar num painel de discussão no evento “Bundesbank Invited Speaker Series”, em Frankfurt .
Do Banco de Inglaterra iremos ouvir o seu economista-chefe Huw Pill e ainda Catherine Mann, em eventos separados.
Da Reserva Federal dos Estados Unidos vamos voltar a ouvir Jerome Powell, desta vez a testemunhar perante o comité de serviços financeiros da Câmara de Representantes. No evento “Fed Listens” iremos poder ouvir a governadora Michelle Bowman e o presidente do Fed de Chicago, Austan Goolsbee.


O que pensa sobre este tema?